A sala de aula, espaço coletivo de conhecimento, interação e troca de informações, vive hoje uma boa fase com a chegada de recursos tecnológicos que vão muito além do laboratório de informática ou da sala de vídeo.

Mas, afinal, você sabe como o uso da tecnologia na educação impacta na relação entre o professor e o aluno?

 

A tecnologia pode aproximar a realidade de professores e alunos

Não há como negar: a tecnologia faz parte do dia a dia de crianças, adolescentes e adultos. Isso impacta diretamente na relação professor e aluno.

Docentes que resistem à inclusão da tecnologia em sua prática pedagógica acabam por se prender a métodos desatualizados, que não funcionam da mesma maneira. Por outro lado, professores capazes de tirar proveito dos benefícios que a tecnologia pode trazer aos processos de ensino e aprendizagem são capazes de atuar de maneira mais atraente e inovadora junto aos seus alunos.

Entretanto, é importante ressaltar que a tecnologia, por si só, não é capaz de transformar a prática de um professor. Porém, se usada de modo contextualizado, ela pode aproximar a rotina em sala de aula àquilo com que os alunos já estão acostumados na vida real, estreitando o relacionamento entre professor e aluno, que passam a compartilhar a mesma realidade.

Assim, recursos como tablets, lousas digitais, celulares, aplicativos e acesso à internet, permitem que as aulas de muitos professores ganhem vida nova, podendo apresentar os conteúdos aos seus alunos por meio de plataformas atraentes e mais próximas dos seus hábitos.

 

Os professores podem visualizar melhor as dificuldades de seus alunos

Conhecer a turma de alunos é uma parte importante do trabalho do professor, já que torna mais fácil o entendimento acerca de quando e como intervir no processo de aprendizagem da turma.

Nesse aspecto, a tecnologia tem muito a contribuir. Muitos recursos tecnológicos oferecem relatórios de aprendizagem, ajudando o corpo docente a identificar, de maneira individual ou coletiva, em que pontos da matéria os alunos têm maior índice de acertos e em quais outros precisam estudar mais.

Assim, fica mais simples perceber quando é necessário caminhar mais depressa com determinados conteúdos, redobrar as explicações, mudar a estratégia de ensino, reconhecer os alunos com melhor performance e incentivar aqueles que têm maior dificuldade.

 

O nivelamento da turma pode se tornar mais simples com a tecnologia na sala de aula

Sabendo que muitas ferramentas tecnológicas voltadas para a sala de aula são capazes de apontar o desempenho coletivo dos alunos, deve-se ter em mente que esse diagnóstico facilita o trabalho do professor no nivelamento dos diferentes ritmos de aprendizagem dos estudantes.

Dessa forma, os recursos didáticos digitais ajudam o professor a reduzir certas dificuldades, além de auxiliar o docente a chamar a atenção de alunos dispersos ou a motivar aqueles com maior facilidade.

 

Alguns exemplos de como utilizar a tecnologia dentro de sala

A forma como cada profissional utiliza a tecnologia em sala varia bastante de acordo com as experiências, os recursos disponíveis e a estrutura organizacional da instituição.

Ainda assim, selecionamos alguns exemplos de como utilizar a tecnologia em sala que podem servir como inspiração para os professores. Confira:

 

Tablets – A utilização de tablets em sala de aula já é uma realidade em algumas escolas das redes pública e privada do país.

Os recursos disponíveis em cada dispositivo variam bastante, mas existem aplicativos específicos para áreas do conhecimento como Língua Portuguesa e Matemática, além de programas que aceitam a inserção de testes, atividades e simulados que podem ser controlados e monitorados pelo professor por meio do computador.

 

Lousa Digital – Outro recurso interessante é a lousa digital, que além da função básica de escrita, permite o uso de programas específicos para essa plataforma, com ferramentas úteis para professores de todas as disciplinas.

Além disso, a lousa digital permite a reprodução de vídeos, músicas e fotos, bem como o desenvolvimento de atividades personalizadas, facilitando o entendimento dos conteúdos por parte dos alunos de uma forma que dificilmente seria possível em uma lousa convencional.

 

Aplicativos interativos – Muitos aplicativos são voltados para o desenvolvimento de alunos e podem ser empregados em sala de aula, já que são compatíveis com diversas plataformas como computadores, tablets e celulares. Eles são ferramentas especialmente úteis, já que despertam o interesse dos alunos por sua interface “gamificada”.

Nos aplicativos, os alunos aprendem enquanto se divertem, podendo interagir com colegas e acessar os conteúdos para estudo tanto na escola quanto em casa, o que facilita bastante a vida de quem está se preparando para o ENEM ou vestibular, por exemplo.

Além disso, plataformas que auxiliam o professor na elaboração e correção de atividades contribuem para a otimização do seu tempo, que poderá ser empregado para ajudar ainda mais os seus alunos.

 

Celular – Aproveitar os recursos tecnológicos pode ser possível até mesmo com o celular – que a maioria dos alunos possui. É possível utilizá-lo em benefício do aprendizado dentro de sala por meio do desenvolvimento de atividades específicas.

O uso desses recursos em sala de aula não é obrigatório, mas a adequação ao uso desse tipo de tecnologia é primordial para que seja possível acompanhar as demandas e necessidades dos estudantes.

Tais recursos não têm por finalidade substituir a presença do professor, mas auxiliá-lo na mediação eficiente do conhecimento, ajudando a otimizar o tempo em sala de aula e melhorando sua qualidade no exercício profissional.

 

Fonte: https://www.somospar.com.br/tecnologia-na-sala-de-aula/