A nota média das 3.709.809 pessoas que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019 caiu nas quatro provas objetivas, em comparação com a edição anterior. Segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) na manhã desta sexta-feira (17).

Para calcular as notas, o Inep usa a Teoria de Resposta ao Item (TRI) – conjunto de modelos matemáticos que permite comparar edições anteriores da avaliação e avaliar os estudantes de forma coerente com os erros e acertos, detectando “chutes”. Já as redações são corrigidas uma a uma pelos mais de 5 mil avaliadores, conforme explicou o Inep.

Em redação, a nota média foi de 592,9. O número de candidatos com nota 1 mil caiu de 55 para 53 em relação a 2018. O número de redações nota zero aumentou de 112.559 para 143.736.

Questionado sobre a queda das médias nas notas do Enem, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou que o exame não pode ser usado para medir o ensino no país, mas que o resultado mostra que os alunos não evoluíram. “O ensino não avançou no Brasil. O resultado mostra que os alunos não apresentaram uma evolução ano contra ano, porque o pessoal votou no PT e tem a lápide da educação aqui embaixo, do Paulo Freire. É o paradigma do fracasso. Pior país da América do Sul. É isso”, declarou.

Entre os países da América do Sul avaliados pelo Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês), o Brasil não está nem entre os primeiros nem em último, considerando o desempenho geral.

Gilberto Alvarez, diretor do Cursinho da Poli, analisa que as médias das notas mostram uma estabilidade com tendência de queda em relação a 2018. “Me preocupa o início de queda, porque essa radiografia mostra que nós temos que atuar, urgentemente, para melhorar nossa educação básica”, destacou.

Para Alvarez, apesar de todas as polêmicas, a prova manteve seu estilo: não aumentou, nem diminuiu o nível de dificuldade. “A prova do Enem continua primando pela excelência, é uma prova muito importante para o Estado brasileiro porque ela é uma prova diagnóstica. Ela possibilita que o Brasil analise as médias e os micro dados e com eles estabeleça política publicas sérias e aprofundadas para melhorar a educação no país”, analisa.

Veja abaixo as médias gerais dos participantes por áreas, em 2019, comparadas aos anos anteriores:

Enem 2019: Nota média em matemática — Foto: Educação G1Enem 2019: Nota média em matemática — Foto: Educação G1

Enem 2019: Nota média em ciências humanas — Foto: Educação G1Enem 2019: Nota média em ciências humanas — Foto: Educação G1

Enem 2019: Nota média em linguagens — Foto: G1 EducaçãoEnem 2019: Nota média em linguagens — Foto: G1 Educação

Enem 2019: Nota média em ciências da natureza — Foto: Educação G1Enem 2019: Nota média em ciências da natureza — Foto: Educação G1

Resultado de todas as áreas do conhecimento

Linguagens

  • Nota mínima – 322,0
  • Nota máxima – 801,7
  • Nota média geral – 520,9

Ciências humanas

  • Nota mínima – 315,9
  • Nota máxima – 835,1
  • Nota média geral – 508,0

Matemática

  • Nota mínima – 359,0
  • Nota máxima – 985,5
  • Nota média geral – 523,1

Ciências da natureza

  • Nota mínima – 327,9
  • Nota máxima – 860,9
  • Nota média geral – 477,8

Redação

143.736 pessoas zeraram a redação. Em 56 mil casos, o motivo da nota zero foi porque o participante entregou a prova em branco.

Fonte: https://g1.globo.com/educacao/noticia/2020/01/17/notas-medias-do-enem-2019-caem-em-todas-as-provas-objetivas.ghtml